As minhas lições de Canto: Notas ao Vaccai para uso dos Portugueses

As minhas lições de Canto: Notas ao Vaccai para uso dos Portugueses

Gustavo Romanoff Salvini nasceu em 1825 em Prauss,na antiga Polónia Prussiana. Biografias oficiais dizem
que deixou a sua terra Natal “em virtude de perseguições políticas” e que “refugiou-se em Itália em fins de
1846”. Ali aperfeiçoou os seus estudos de Canto, iniciando a carreira lírica no ano de 1849. Dez anos depois
entrou em Portugal, escriturado para o real Teatro de São João. Porém, durante uma récita de “Os Puritanos”
de Bellini um incidente fê-lo perder a voz, pondo termo à sua carreira lírica.


Fixando-se na cidade do Porto, Salvini virou-se para uma carreira no ensino. Como professor de Canto, Salvini
não entendia por que razão os portugueses não cantavam na sua Língua, preterido em favor do Italiano.
Encantado pela sonoridade da Língua Portuguesa e pelos seus poetas, Salvini resolveu tomar a iniciativa de
pôr em música os grandes poetas do Romantismo Nacional, publicando em 1865 uma compilação de 40
canções , a que deu o nome de “Romanceiro Musical”.Em 1884, voltaria a publicar esta compilação,
rebatizando-a de Cancioneiro Musical Português, 40 melodias na língua portuguesa com acompanhamento
de piano, letras dos principais poetas portugueses.


Mais do que empreender um esforço para “conseguir que os portugueses cantem na sua língua”, Salvini
queria fundar o “Kunstlied” (canção de câmara erudita) português e queria uma reforma para a música em
Portugal. Continuando o seu intuito, depois do Cancioneiro, Salvini pretendia lançar uma nova e ainda mais
inédita iniciativa: escrever um método de Canto em português, com rigor científico, e pensado para os
cantores portugueses que, até ali, não tinham nenhum método em vernáculo. “As minhas lições de Canto:
Notas ao Vaccai para uso dos portugueses” seria, para Salvini, o seu testamento musical. Para a História da
Música, este teria sido o primeiro tratado científico sobre voz cantada escrito em Portugal, e para uso dos
portugueses. Infelizmente, Salvini não conseguiu apoios para publicar este método em vida. Em 1931 os
herdeiros de Salvini e um ilustre homem de Letras do Porto, de nome Bertino Daciano Guimarães, lançariam
uma edição deste método, porém incompleta, faltando toda uma parte, assim como as partituras do popular
método Vaccai, nacionalizadas por Salvini.


Em 2020, a cantora e musicóloga Tânia Valente assina uma edição completa, transcrita, revista e comentada
deste método inovador para o seu tempo, e que, em pleno século XXI, ainda consegue ser um dos poucos
métodos de Canto escritos em português. Ao mesmo tempo, este método é um testemunho do que era o
ensino de música em Portugal no final do séc. XIX, para além de incluir ainda uma interessante reflexão de
Salvini sobre os compositores europeus do seu tempo.

2020
Gustavo Romanoff Salvini / Tânia Valente
Investigador