Artigo no Jornal Público "O imenso trabalho invisível do Centro de Estudos de Teatro"

Imagem
Estudos fisionómicos do actor Eduardo Brasão em A Madrugada, O Bibliotecário e na tragédia Hamlet (in O Branco e Negro) 


O trabalho na investigação académica e artística é, muitas vezes, invisível. Mas, por vezes, há quem se detenha e o queira revelar um pouco. O crítico de teatro e jornalista Gonçalo Frota dedicou a "O imenso trabalho invisível do Centro de Estudos de Teatro" estas linhas. (Público, 06/04/2020, pp. 30 e 31).

Faltaria ainda acrescentar e corrigir algumas informações - da inteira responsabilidade do entrevistado e de alguma desactualização dos documentos enviados ao jornalista:

1) a CETbase é um projecto da Professora Maria Helena Serôdio, que o dirige, hoje, com as Professoras Sebastiana Fadda e Maria João Almeida;

2) a Linha de Investigação História do Teatro e do Espectáculo é hoje dirigida pelo Investigador José Pedro Sousa, que sucedeu aos Professores Maria João Almeida e José Camões; o título completo da obra de Maria Helena Serôdio, referida no artigo, é Financiar o Teatro em Portugal  - a actuação da Fundação Calouste Gulbenkian (1959-1999) (Lisboa, 2013).

Investigador